Design by lichtenart.com
Artigos Variados - Automóvel uma epidemia PDF Imprimir E-mail
Escrito por Administrator   
Ter, 14 de Julho de 2009 01:15
Índice do Artigo
Artigos Variados
O Código diz
Antigo Cicloturista
A água do mundo
Motivos para pedalar
Automóvel uma epidemia
Política de bicicletas
Mito derrubado
Todas Páginas

AUTOMÓVEL, UMA EPIDEMIA QUE MATA CADA VEZ MAIS

Eles são simplesmente a maior causa da poluição atmosférica e do aquecimento global.
Formam também o maior mercado da indústria do petróleo, que fomenta tantas guerras.
E como se isso não fosse ruim o bastante está piorando!

A cada 13 minutos ocorre uma morte por acidente de trânsito no Brasil, essa estatística não inclui os animais não humanos assim como as mortes também “acidentais” decorrentes de doenças respiratórias causada pela poluição automobilística. E nos hospitais de cada dez leitos hospitalares, pelo menos cincos são ocupados por acidentados no trânsito.

Os acidentes de trânsito no Brasil são o segundo problema de saúde pública, só perdendo para desnutrição. Sem contar com o estresse, perda de tempo com o trânsito parado e muitas coisas mais que daria para encher cem páginas de coisas ruins que os automóveis tem feito com o ser humano, principalmente em São Paulo nos últimos tempos.

Com isso minha afirmação que é uma epidemia muito pior que a dengue!

Pelo menos em São Paulo algo está sendo feito!

Pontes com valores muito altos, diminuição de calçadas, estradas, tudo aquilo que possa melhorar a circulação dos automóveis. Tudo pelo motor. Além disso, grande parte da classe média investe mais em seus carros do que em casa própria. A generalização do carro particular golpeou os transportes coletivos, alterou o urbanismo e habitat. Hoje em São Paulo à tranqüilidade dos bairros acabaram dando lugar a vias alternativas para os carros.
E cada vez mais carros aparecem nas ruas, levando apenas uma pessoa.

O mito do prazer e do benefício do carro persiste. Para muitas pessoas é impossível hoje viver sem o carro. O carro foi transformado em uma necessidade e dirigir também é uma forma de liberdade, representa o poder masculino, luxo, status, poder. Para a mídia, o carro é uma paixão dos brasileiros. Belas formas aerodinâmicas, ronco e potência no motor, alguns modelos verdadeiras obras de arte de lata que solta fumaça. Mas que encantam multidões de pessoas que aos poucos vem morrendo pelo próprio prazer. Tornando o automóvel um instrumento de poder e destruição que continua matando e sem punição. Mesmo com todos esses números de mortes, engarrafamentos monstruosos, fumaça crescente, nada vem sendo feito. Pois quem se atreve a combater a indústria automobilística? Esse poder do motor que continua sendo um indicador chave na economia mundial.

Talvez quando algum político ou um parente bem próximo começar a cair com falta de ar, com feridas na pele soltando pus começarem a aparecer, os olhos se esbugalharem e a boca começar a espumar pode ser que algo de radical contra os automóveis comece a ser feito.

Enquanto isso questionar o automóvel implica, de início, que questionamos as significações de tempo e espaço desta sociedade.

Mas o que fazer? À resposta é simples! Sejamos ciclistas.

Autor: Otto Silva publicado no site Sampa Bikers



LAST_UPDATED2